Por Luciano Neto, Ney Felipe e Raphael Domingues

Uma grande polêmica envolvendo a comunidade do Buritis  e o vereador Elvis Côrtes movimentou as redes sociais e levou a Associação dos Moradores a se manifestar em uma “carta aberta aos vereadores de Belo Horizonte” esta semana. 

A história começou com um vídeo do discurso de Côrtes em plenário, no dia 14 de março, no qual o vereador se refere aos poucos votos recebidos por ele no bairro onde mora, o Buritis.

O vídeo

Este vídeo, editado, foi publicado, dois dias depois do discurso, em 16 de março, na conta do YouTube da Associação de Moradores do Bairro Buritis (ABB). Neste espaço virtual, a ABB diz que “é importante conhecer bem os nossos representantes eleitos” e afirma que o político teria “debochado do bairro”.

 

Explicação do vídeo publicado pela ABB no YouTube

Na gravação (abaixo), de pouco menos de dois minutos, que já conta com mais de 1.800 visualizações no YouTube, o vereador se refere à pressão em suas redes sociais para assinar a CPI da BHTrans. 

A proposta de abertura de uma CPI para investigar possíveis problemas dentro da empresa de transportes de Belo Horizonte tem sido discutida há algum tempo na Câmara, sem  obter os votos necessários para sua implantação. O vereador Côrtes é contra a CPI, pois, em suas palavras, “CPI é coisa para investigar bandido e o prefeito Kalil não é bandido”.

Aí começa toda a polêmica, porque o vídeo mostra Côrtes dizendo que a pressão vem das redes sociais, principalmente por parte de moradores do bairro. “Pessoal lá do Buritis … Até parece que foi o Buritis que me elegeu”, diz, jocosamente, após 1’17” de vídeo. 

A fala editada do político e a publicação pela ABB feveram nas redes sociais abertas e fechadas, principalmente no WhatsApp, onde vários moradores se manifestaram.

Após a divulgação, a Associação de Moradores do Bairro Buritis (ABB), publicou uma carta aberta aos vereadores de Belo Horizonte, em seu site, e divulgou nas redes sociais, repudiando a fala do vereador.

A carta

A carta, assinada pelo presidente da ABB, Braulio Lara, comenta sobre o incômodo que a fala do vereador gerou nos moradores e participantes da associação.

“Nós do bairro Buritis sempre fomos muito atuantes em prol da nossa comunidade, da nossa sociedade, em prol de Belo Horizonte, apesar de todas as dificuldades de um bairro sempre preterido entre prioridades do poder público. Um bairro que tem uma população de mais de 30 mil habitantes, que não teve e não tem investimentos proporcionais ao seu crescimento. ”

A mensagem traz duras críticas e cita obras solicitadas, junto à Prefeitura, que foram realizadas, segundo eles, sem o apoio do vereador.

“É junto à Prefeitura que teremos o reparo do asfalto, o cobrimento do buraco, a capina dos canteiros, a troca da luz do poste, a melhoria do trânsito, a execução de uma tubulação de saneamento, a fiscalização da lei do silêncio etc. E qual o principal papel do vereador? Entendemos que é fiscalizar o poder executivo e ser um amplificador das vozes das comunidades, cada vez mais organizadas em associações e redes sociais. Afinal, “intervenções do vereador”, provavelmente são ofícios, prática comum nos gabinetes, que nos ajudam a priorizar reivindicações junto à Prefeitura. ”

 

Carta aberta postada no site da ABB

Os moradores

Pelo telefone, entramos em contatos com moradores do Buritis. Francisco Pimentel, relatou a infelicidade da fala do vereador. Francisco, vizinho de Côrtes, conta que os moradores já tentaram contato com eles antes deste fato, mas nunca obtiveram resposta.

Outra moradora do bairro, Mirian Vaschetto, considera que o político pecou ao falar assim do Buritis. E que mesmo não tendo a quantidade de votos desejada, ele tem que manter um bom trabalho no bairro.

Ouça a opinião de moradores sobre o fato:

O vereador

O jornal Daqui BH entrou em contato com o vereador Elvis Côrtes. Por telefone, o parlamentar disse que foi mal compreendido, que a fala foi editada fora de contexto e que ele não desdenhou ou debochou do bairro.

Côrtes afirma que mesmo tendo poucos votos no bairro, está à disposição dos moradores e aberto para contato com o público. Ele afirma não ser um candidato de bairro, mas para qualquer cidadão.

“Não quero ser taxado como vereador de bairro. Vou onde me chamam, independente de terem votado em mim ou não. Quando fui morar no Buritis, já era vereador. Respeito e moro no bairro Buritis e vou continuar ajudando com ou sem voto”, afirma.