O grupo de ciclistas nasceu com dois propósitos: reunir amigos e pedalar

 

Por Victória Trigueiro, Welleson Mendes e William Araújo

 

um ano, o “Segundalada” – grupo de ciclistas do bairro Palmeiras – invade as ruas do bairro Buritis e da região Oeste, substituindo o costumeiro som das buzinas dos carros por uma trilha sonora motivacional para os ciclistas.

 

O projeto é uma iniciativa de Fabrício Brandão e Fábio André, irmãos e proprietários da loja Bike Thrives, especializada em bicicletas. Com o intuito de reunir os amigos em voltas de bicicleta pelos bairros da região, os dois criaram o Segundalada. O nome surgiu por acaso. Por um erro de digitação, “Segunda Pedalada” virou “Segundalada”. Hoje, o encontro já reúne mais de 100 membros ciclistas.

 

A ideia é simples: com uma música animada em um carro de apoio e proteção, os ciclistas pedalam pelas ruas de Belo Horizonte, com a intenção de conhecer os pontos turísticos e descobrir a cidade, substituindo o conforto do automóvel pela adrenalina sobre duas rodas, com o vento no rosto.

 

O ponto de encontro da turma é a Bike Thrives, na rua João VI, 1521, Palmeiras. Às segundas, a entrada da loja é ocupada por ciclistas vestidos de verde – cor que escolhida para os uniformes -, cheios de força de vontade e coragem para o percurso. Os patrocinadores do Segundalada são a TSW Bike, Leo Burger, Northpak, DaMatta e CR Auto Peças
Durante o trajeto, muitos ciclistas conversam entre si, mas sempre prestando atenção ao transito e aos semáforos. Como na lei de transito o maior sempre protege o menor, os ciclistas devem proteger e respeitar os pedestres, assim como os carros devem proteger os ciclistas.

 

Dentre os pontos turísticos de Belo Horizonte, a Praça da Estação foi escolhida para ser o destino final da pedalada desta segunda (08) e o Jornal Daqui BH acompanhou a trajetória dos ciclistas.

 

https://youtu.be/1fUOeE7_qC8

 

Ao chegar ao seu destino, o grupo descansa, se hidrata, aprecia um pouco o local e começa o trajeto de volta para casa, mantendo a animação e o cuidado. Muitos carros param ao ouvirem o apito usado pelo padrinho, para sinalizar a passagem dos ciclistas nos cruzamentos. Alguns motoristas aproveitam a oportunidade para perguntar sobre o grupo e como participar do passeio.
O retorno é sempre mais tranquilo, com menos carros nas ruas. Ao chegarem ao ponto de encontro, a porta da loja, cada um segue o seu caminho de volta para casa, já com planos para o destino da próxima semana.

 

Perigos que o ciclismo de estrada pode trazer

Reunir em grupo com uma média de 30 pessoas e um carro de suporte foi a solução encontrada pelo Segundalada para proteger os ciclistas dos motoristas desatentos. Com um comandante que puxa o grupo e dois padrinhos – um atrás e outro no meio -, a equipe tende a dar preferência à pista da direita.
Em alguns pontos de Belo Horizonte, a pista da direita é a preferencial para ônibus. Por isso o carro de apoio é importante. Ele anda atras do grupo, o protegendo e fechando a pista quando se precisa trocar.

Além disso, o carro serve de suporte para ciclistas que quebram a bicicleta no meio da competição, ou até mesmo precisam de água ou uma cereais.

 

História da Bicicleta

Infográfico: Welleson Mendes/Piktochart

Infográfico: Welleson Mendes/Piktochart

 

Pedalando para uma vida saudável

Embora sua principal função original fosse a locomoção, hoje, a bicicleta está ligada também a práticas saudáveis. Pedalar alguns minutos por dia, alguns dias da semana, pode diminuir no risco de hipertensão e infarto, além de auxiliar na perda de peso. A bicicleta pode ser a solução ideal para o sedentarismo, pois, ao pedalar, o ciclista acaba exercitando o corpo e a mente.

Galeria de fotos